LOCALIZAR

TRANSLATE

Agradecimento de Maycon Morgado

AGRADECIMENTO Nº 03, Blog Histórico Interdenominacional: MORGADO, UM CRISTÃO! sob responsabilidade de Maycon Morgado.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada.". (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente.". (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor.". (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

Maycon Morgado
Maycon Morgado.
Responsável deste Blog.
Prezados seguidores, simpatizantes e amigos que frequentemente visitam os arquivos do Blog Histórico Interdenominacional: MORGADO, UM CRISTÃO!, hoje (26/09/2013) completamos 1 ano de existência com 27.000 acessos.

Nessa oportunidade, explicamos quais foram os motivos para adotarmos este nome para o Blog e porque o endereço é diferenciado.

Inserimos o sobrenome MORGADO no título para demonstrarmos identificação com as biografias, ou seja, repudiamos um arquivo meramente Escolástico, pois cremos que a História do Povo de Deus é Viva e merece ser retratada com envolvimento, entusiasmo, discernimento e humildade perante a Soberania de Deus.

Acrescentamos a expressão "UM CRISTÃO!" identificando a nossa verdadeira vocação que não consiste em títulos, honrarias ou simplesmente em formações acadêmicas, mas vem do Alto, através da Regeneração em Cristo pelo Espírito. Confiamos na força desta expressão que aponta para a Centralidade de Cristo nas nossas vidas, indicando a Sua totalidade como Salvador e Senhor, deixando claro a nossa posição - escravos - propriedade do Seu Senhorio.

A terminologia "UM CRISTÃO!" derruba o Nominalismo, o Clientelismo, o fardo do Institucionalismo, e o descomprometimento do Adenominacionalismo, clarificando a base da nossa Unidade - o Espírito e a Vida em Cristo - preservando o elevado padrão da Palavra de Deus e conduzindo o nosso Ego para o seu lugar - a Cruz.

No entanto, o endereço do Blog foi definido como "EXEMPLOS DA HISTÓRIA" desafiando as nossas vidas para a reflexão do nosso Presente, ou seja: Como construímos o nosso dia a dia? Quais serão as heranças que deixaremos para as gerações futuras? Conhecemos a História do nosso Povo?

Compartilhamos com os senhores alguns dados do nosso Blog:

O primeiro arquivo Thomas Cranmer (1489-1556), foi publicado em 26/09/2012;

Já possuímos arquivos referentes aos seguintes Movimentos: Avivalistas; Anglicanismo; Batistas; Irmãos Unidos; Luteranismo; Metodismo; Pentecostalismo; Presbiterianismo; Puritanismo; Restauração do Senhor; Separatistas; e Vida Interior. Os arquivos publicados contemplam os Séculos 16, 17, 18, 19 e 20. No ano de 2014, intensificaremos os arquivos sobre os Puritanos, os Reformadores, com possibilidades de estendermos aos Pais da Igreja.

Os arquivos mais visitados durante este ano de existência:

  1. Watchman Nee (1.416 acessos);
  2. Leonard Ravenhill (1.303 acessos);
  3. Witness Lee (1.007 acessos);
  4. Enock Morgado (895 acessos);
  5. Madame Guyon (790 acessos);
  6. George Müller (759 acessos);
  7. John Wesley (701 acessos); e
  8. T. Austin-Sparks (632 acessos).

Os arquivos mais visitados neste mês foram:

  1. Leonard Ravenhill (166 acessos);
  2. Watchman Nee (127 acessos);
  3. Witness Lee (95 acessos);
  4. T.L. Osborn (83 acessos);
  5. Madame Guyon (68 acessos);
  6. George Müller (64 acessos);
  7. Evan Roberts (44 acessos);
  8. Aimee Semple McPherson (43 acessos).

Mapa Mundi

As cidades do Brasil que mais acessaram o Blog foram: Piracicaba-SP; Campinas-SP; São Paulo-SP; Rio de Janeiro-RJ; Sorocaba-SP; Belo Horizonte-MG; Brasília-DF; Salvador-BA; e Goiânia-GO.

As cidades estrangeiras que mais visitaram o Blog foram: Oslo (Noruega); Luanda (Angola); Nova York (Estados Unidos); Lisboa (Portugal); Faro (Portugal); Maputo (Moçambique); Cidade do México (México); e Sintra (Portugal).

Pessoas de vários países acessaram os arquivos biográficos deste Blog: África do Sul; Angola; Austrália; Alemanha; Argentina; Bolívia; Bulgária; Canadá; Chile; Chipre; Colômbia; China; Costa Rica; Cabo Verde; Espanha; Estados Unidos; Emirados Árabes Unidos; Equador; Egito; Finlândia; França; Guiné-Bissau; Hong-Kong; Haiti; Holanda; Indonésia; Índia; Inglaterra; Irlanda; Itália; Israel; Japão; Macau; Malásia; México; Moçambique; Noruega; Nova Caledônia; Panamá; Peru; Paraguai; Paquistão; Porto Rico; Polônia; Portugal; República Dominicana; República Tcheca; Reino Unido; Romênia; Rússia; Senegal; Suécia; Suíça; Tailândia; Taiwan; Turquia; Ucrânia; Uruguai; Venezuela e Vietnã.

Esperamos, sinceramente, que este Blog continue servindo para encorajar muitos cristãos a fim de entregarem as suas vidas aos pés do Mestre Cristo que cumpre cabalmente o Seu propósito apesar da nossa fragilidade e incapacidade.

Se porventura, um cristão foi edificado neste ano, sentiremo-nos gratos pelo resultado do nosso trabalho. Louvado seja o Senhor!

Graça e Paz! Em Cristo!

John Spilsbury

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 60: John Spilsbury (1593-1668) foi um inglês Sapateiro; Não-ConformistaSeparatista; Batista-Calvinista; e Pastor.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

John Spilsbury
John Spilsbury.
(1593-1668)
John Spilsbury nasceu no Reino Unido e foi aperfeiçoado para o trabalho de sapataria.

Frequentou as reuniões cristãs de um grupo Não-ConformistaSeparatista, aderindo às convicções Calvinistas.

Seguindo a vocação dada por Deus, assumiu o ministério pastoral, focalizando, principalmente: a "Eficácia Invencível" da obra de Cristo para o Seu povo; e o Governo Eclesiástico para a constituição da Comunidade Cristã.

Também, foi importantíssimo, para a restauração da prática do Batismo por Imersão, apregoando a "Certeza Infalível" do Pacto da Graça, elaborado em Cristo e motivado pela incapacidade absoluta do Homem.

Spilsbury argumentou que a Nova Aliança em Cristo, exclui a participação de uma criança no Batismo, considerando que a Solenidade requer a experiência real da Conversão, servindo como Testemunho para os Homens e para os Poderes Espirituais, daquilo que já aconteceu no espírito humano, ou seja, a Regeneração, ficando, portanto, afastado quaisquer possibilidades de Batismo Infantil.

Embora, no tratamento de Deus com o povo de Israel, incluísse a Circuncisão de Bebês Masculinos, a Antiga Aliança permanece inferior à Nova Aliança, que mesmo não contemplando as crianças para o Batismo, ainda é superior, pois permitiu a habitação do Deus Todo-Poderoso e Triúno no espírito dos regenerados, algo impossível na Dispensação Antiga que permitia apenas a Visitação de Deus sobre os homens e não dentro deles.

O apego exacerbado à prática do Batismo por Imersão (Mergulhar em Água), gerou postura crítica em John Spilsbury acerca das outras modalidades de Batismo: Aspersão (Borrifar Água) e Efusão (Derramar Água).

John Bunyan
John Bunyan.
(1628-1688)
Somos adeptos do Batismo por Imersão, mas cremos que a Comunhão entre os Cristãos é fundamentada pelo recebimento da Nova Vida no espírito humano, porque se a base fosse a Visão, excluiríamos todos os neófitos e muitos maduros em Cristo que sustentam posição diferente.
Trazemos as palavras de John Bunyan: "É estranho que possa haver dois cristãos iguais em todos os pontos, menos neste, até mesmo um sendo mais desenvolvido espiritualmente do que o outro por causa da Graça e da Santidade; todavia, esta circunstância de água verá com desdém e eliminará toda a sua dignidade, não o considerando merecedor daquela recepção que com a mão e com o coração será dada a um novato". Nota do Blog.

John Spilsbury foi atuante para a elaboração da Primeira Confissão de Londres dos Batistas-Calvinistas, e labutou para distinguir os Batistas-Particulares (Batistas-Calvinistas) dos Anabatistas (Rebatizadores), ala radical da Reforma. No desenvolvimento da distinção, Spilsbury enfatizou que existe apenas Um Batismo, sempre realizado por Imersão.

"Batistas-Particulares não possuem qualquer ligação com os Anabatistas continentais. Pelo contrário, representam avanço no Movimento de Independência Inglês (Congregacionalismo) para a conclusão lógica no batismo do crente. A origem das Igrejas Batistas-Particulares na Inglaterra são datadas em 1638. Seus antecedentes são encontrados em Congregações Não-Separatistas ou Independentes, organizadas em 1616, em Londres, por Henry Jacob"

A expressão "Batista" não surgiu para denominar uma instituição, mas semelhantemente aos "Metodistas", foi usado por terceiros para depreciar o Movimento em 1640. Nos anos de 1644, 1646 e 1654, o apelido "Batista" apareceu na imprensa para descrever a controvérsia sobre o Batismo. Já existiam tensões sobre a Efusão e a Aspersão, mas o Imersionismo intensificou as disputas teológicas.


SUAS PALAVRAS:

Eu acredito que só existe um Deus, que se distingue em três pessoas: Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, mas apenas um em natureza, ou essência, sem divisões e incomunicável, que fez o mundo, e todas as coisas nele, pela Palavra do Seu poder, e governa por Sua sábia providência.
Eu acredito que Deus criou o homem à Sua imagem, uma criatura ereta e perfeita, composta de corpo e alma (Dicotomia Humana). (...). A quem Deus deu uma lei, sobre sua guarda, da qual dependia toda a sua felicidade, mas ao contrário, participou de miséria, que entrou em vigor pela quebra dessa lei, assim caiu sob a maldição e ira de Deus. (...).
Eu acredito que Deus, no conselho de Sua vontade, antes de criar o mundo, elegeu e escolheu certo número de suas criaturas, antes da Queda, e nomeou-os para a Vida Eterna em Seu Filho, para a Glória de Sua Graça (...). O número determinado foi eleito para a Salvação visando a Sua Glória, enquanto os demais permanecerão no pecado para Glorificar a Sua Justiça. (Supralapsarianismo).
Eu acredito que as Sagradas Escrituras são a Palavra de Deus, e têm a única autoridade para vincular a consciência à obediência (...), constituindo regra suficiente, pelo Espírito de Deus para guiar o homem em toda a sua obediência à Deus e ao homem.



Nenhum servo de Deus está isento de falhas interpretativas e existem pontos secundários que não implicam em abalos às questões essenciais da Fé Cristã. Descansamos na Soberania de Deus e confiamos em Sua perfeita Palavra.
Embora, reconheçamos John Spilsbury como um dedicado irmão em Cristo, não concordamos com os seus posicionamentos:

Supralapsarianismo (escolha dos eleitos antes da Criação) e Dicotomia Humana (Matéria e Imatéria).
Adotamos os posicionamentos do Infralapsariano (escolha dos eleitos depois da Queda) e da Tricotomia Humana (Corpo, Alma e Espírito).
Entendemos que existem duas esferas (Material e Imaterial), porém, assim como o Material (Corpo) possui várias partes inconfundíveis, por exemplo, o Pulmão e os Olhos, acreditamos que o Imaterial também tem as suas partes inconfundíveis, como o Espírito Humano (Consciência, Comunhão e Intuição) e a Alma (Mente, Vontade e Emoção), conforme gráfico acima. Nota do Blog.


FONTE:

The Reformed Reader: John Spilsbury e Sua Confissão. http://www.reformedreader.org/ccc/spilsburyconfession.htm .

The Reformed Reader: Dignitários Batistas do Século XVII. http://www.reformedreader.org/history/cramp/s06ch09.htm.

The Reformed Reader: Descendência Separatista - Historiografia Batista. http://www.reformedreader.org/history/bryan/ch03.htm.

Supralapsarian: John Spilsbury. http://www.supralapsarian.com/John_Spilsbury.html.

Charles Wesley

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 59: Charles Wesley (1707-1788) foi um inglês Bacharel em Literatura; Mestre em Línguas Clássicas (Latim, Grego e Hebraico); Secretário de Assuntos Indígenas da Colônia (América); Portador de Despachos Administrativos Britânicos à Colônia (Estados Unidos); Episcopalista; Capelão da Guarnição Britânica na Colônia; Evangelista; Líder Metodista-Arminianista; Poeta; Organista; e Hinólogo.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

Charles Wesley
Charles Wesley.
(1707-1788)
Charles Wesley nasceu na pequena vila Epworth, na Ilha de Axholme, em Lincolnshire, na Inglaterra.

O seu bisavô paterno, Bartolomeu Wesley (1595-1680), estudou na University of Oxford, alcançando elevada educação religiosa. foi um Sacerdote Anglicano; Não-ConformistaPuritano-Moderado; perseguido pela Igreja Estatal (Anglicana) e pelo Reino Britânico.

O seu outro bisavô paterno, John White (1575-1648), foi um Não-Conformista; Puritano-Moderado; importante para o estabelecimento da Colônia (Nova Inglaterra) e integrou a Assembleia de Westminster.

O seu avô paterno, John Wesley (1636-1678), foi um estudioso das Línguas Clássicas (Latim, Grego e Hebraico), Mestre em Artes, estudou na University of Oxford sob influência dos Independentes-Puritanos, foi um Evangelista, provavelmente, Independente, inclusive, foi perseguido e preso pela Igreja Estatal da Inglaterra.

Samuel Wesley
Samuel Wesley.
(1662-1735)
O seu pai, Samuel Wesley, foi um Poeta e Sacerdote Anglicano, muito erudito, o que distava o seu raciocínio dos demais cristãos que frequentavam os cultos, pois geralmente, eram iletrados, vítimas do contexto social pré Revolução Industrial, na Inglaterra.

O seu bisavô materno, John Annesley, foi um nobre em Haseley, no Condado de Watwickshire, no Reino Unido.

O seu avô materno, Samuel Annesley (1620-1696), foi um Pastor Puritano; provavelmente ordenado pelo Governo Eclesiástico Presbiteriano; foi perseguido pela Igreja Estatal e seu bens foram penhorados. A sua filha, Susanna, casou com Samuel Wesley.

Do matrimônio de Susanna Annesley e Samuel Wesley, nasceram 19 filhos, dentre os quais, John e Charles Wesley.

Charles Wesley
Charles Wesley.
(1707-1788)
Charles foi educado nas cidades de Westminster e Oxford, onde iniciou um grupo de oração na University of Oxford, que recepcionaria o seu irmão John Wesley e o amigo e pioneiro George Whitefield. O grupo caracterizava-se pelo estudo da Bíblia, assimilação metódica das Escrituras e viver santificado, provocando sentimentos adversos nos outros alunos que apelidavam o grupo como "Clube Santo", "Sacramentarians", e "Metodistas".

Em 1735, os irmãos Wesley viajaram para colônia britânica (América do Norte), nessa circunstância, Charles foi nomeado como Secretário de Assuntos Indígenas, Portador de Despachos Administrativos Britânicos à Colônia, além de Capelão da Guarnição Britânica na Colônia.

Charles Wesley
Charles Wesley.
(1707-1788)
Embora, fosse herdeiro da vocação cristã existente na família, somente em 1738, experienciou o semear da Vida Eterna em seu coração, nutrido com força para anunciar o Evangelho de Cristo, o que faria em muitas vezes através da composição de hinos.

George Whitefield foi o primeiro convertido, depois vieram os irmãos Wesley, também foi o pioneiro da pregação avivalista e da pregação ao ar livre, introduzindo os irmãos Wesley, em 1739, nas ruas e praças visando o anúncio do Evangelho fora do confinamento dos templos.

Charles permaneceu na Igreja Estatal, seguindo o pai e o irmão John, diferentemente do amigo Whitefield, e dos seus avôs, John Wesley (1636-1678) e Samuel Annesley (1620-1696), que foram desvinculados da Igreja Anglicana.

Sarah Gwynne Wesley
Sarah Gwynne Wesley.
(1726-1822)
Em 1749, Charles desposou Sarah Gwynne, filha de um nobre, Marmaduke Gwynne, que foi alcançado pelo Evangelho através das pregações de Howell Harris (1714-1773) e Daniel Rowland (1713-1790). Sarah Gwynne Wesley acompanhava constantemente os irmãos Wesley nas viagens evangelísticas, no entanto, nutria vínculos com o Metodismo-Calvinista liderado por George Whitefield.

Charles e Sarah tiveram oito filhos, mas apenas três sobreviveram à infância. Dentre os filhos do casal, Charles Wesley Júnior (1757-1834) e Samuel Wesley (1766-1837) foram os mais notáveis no mundo secular, mas sem expressão no Protestantismo.

Charles Wesley Júnior foi compositor e organista da Realeza Britânica.

Samuel Wesley, contemporâneo do austríaco Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791), foi compositor e organista, chamado de "Mozart Inglês". Energicamente defendia e interpretava as obras de Johann Sebastian Bach (1685-1750). Em 1784, deixou o Protestantimo e aderiu ao Catolicismo, desesperando o seu tio John Wesley. No final da vida padeceu com problemas mentais.

Samuel Sebastian Wesley (1810-1876), neto de Charles Wesley e filho de Samuel Wesley, foi compositor e organista, um dos compositores britânicos mais importantes do Século 19. Aparentemente, deixou o Catolicismo do seu pai para retornar à Igreja Anglicana do seu bisavô - pai dos irmãos Wesley.


Charles Wesley
Charles Wesley.
(1707-1788)
SUAS PALAVRAS:


1
Cristo já ressuscitou, / Aleluia! / Sobre a morte triunfou, / Aleluia! / Vós, remidos, O louvai, / Aleluia!
2
Cristo, a morte, aniquilou, / Aleluia! / O seu aguilhão quebrou, / Aleluia! / Sim, morreu e nos salvou, / Aleluia! / E a serpente esmagou, / Aleluia!
3
Uma vez na cruz sofreu, / Aleluia! / Uma vez por nós morreu, / Aleluia! / Mas agora vivo está, / Aleluia! / Para sempre reinará! / Aleluia!
4
Ressurgimos com o Senhor, / Aleluia! / Junto a Ele em esplendor! / Aleluia! / Deste mundo nos atrai / Aleluia! / Para a glória de Deus Pai, / Aleluia!


FONTE:

Livro: João Wesley - Sua vida e obra.
Autor: Mateo Lelièvre.
Editora: Vida. (Brasil).
Páginas: 373.

Livro: Heróis da Fé - Vinte homens extraordinários que incendiaram o mundo.
Autor: Orlando Boyer.
Editora: Casa Publicadora das Assembleias de Deus - CPAD. (Brasil).
Páginas: 246.

Livro: Os Puritanos - Suas Origens e Seus Sucessores.
Autor: David Martyn Lloyd-Jones.
Editora: Publicações Evangélicas Selecionadas - PES. (Brasil).
Páginas: 432.

Hinos, nº 57, Sua Ressurreição.
Editora: Árvore da Vida. (Brasil).

J.B. Stoney

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 58: James Butler Stoney (1814-1897), também conhecido como J.B. Stoney, foi um irlandes Jurista; Linguista Clássico; Teólogo; Sacerdote Anglicano; Escritor; Evangelista influenciado pelo Movimento Místico; Dispensacionalista; Líder Adenominacional do Movimento Irmãos Unidos, também conhecido como Irmãos de Plymouth, Assembleia dos Irmãos em Portugal, Casa de Oração no Brasil, ou simplesmente, Os Irmãos.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

James Butler Stoney
James Butler Stoney.
(1814-1897)
James Butler Stoney nasceu no dia 13 de Maio de 1814, em Portland, no Condado de North Tipperary, na Irlanda. A sua família era Protestante e seu pai nutria fortes influências pelos ensinos dos Puritanos.

O jovem J.B. Stoney era muito inteligente e frequentou o conceituado Trinity College na cidade de Dublin. Estudou os idiomas clássicos (Latim, Grego e Hebraico) e graduou-se em Ciências Jurídicas. Os seus pensamentos estavam centrados no sucesso profissional na carreira jurídica.

Durante a sua juventude, a Irlanda foi acometida com um surto de cólera, que também o alcançou. Os sofrimentos físicos eram intensos e provocaram reflexões em sua alma acerca do seu destino. Enquanto estava sozinho aguardando o atendimento médico, prostrou-se e clamou pela misericórdia de Deus, alcançando a graça do irresistível Crucificado - Jesus Cristo. Quando o médico chegou, Stoney estava exausto e beirava à morte, mas disse com muita calma: "Jesus me receberá! O Senhor Jesus recebe o meu espírito".

No entanto, Deus em Sua soberania recobrou a saúde do jovem James Stoney, que ao acordar depois dessa experiência impactante, renunciou aos seus sonhos referentes à carreira jurídica para vivenciar a realidade da nova vida em Cristo como testemunha para alcançar aos homens.

Estudou Teologia na cidade de Dublin, na Irlanda, aonde excelentes professores ministravam valiosas aulas. Posteriormente, aos 24 anos, foi ordenado Clérigo na Igreja Anglicana, mas os seus pais demonstraram insatisfação, pois eram extremamente influenciado pelos Puritanos que em sua maioria eram Independentes ou Separatistas, Não-Conformistas, com visão Presbiteriana ou Congregacional, portanto, radicalmente contrários ao formalismo e liturgias do Clero. Eles consideravam que as Riquezas de Cristo eram encontradas no conteúdo expositivo da Palavra, ao contrário da solenidade da religião.

Além dessas divergências, os seus tios romperam contatos com ele, pois desejavam um sobrinho jurista, repudiando a ideia de um "pastor" na família.

J.B. Stoney demonstrou excelente dom de evangelista que sobressaiu ao do pastorado, até que conheceu os Irmãos Unidos.

J.B. Stoney
James Butler Stoney.
(1814-1897)
"Quando conheci Os Irmãos em 1833, já tinha renunciado à carreira jurídica e estudava Teologia, com ardente desejo de servir ao Senhor. Pensava que fosse a única coisa certa. Inicialmente, fui à Aungier Street com sentimento de oposição. O Sr. Clarke, um colega de estudos, me levará à reunião. Finalmente demonstrei grande interesse pelos ensinos ministrados nessas reuniões. Lembro-me especialmente da exposição do Sr. Darby sobre as palavras: 'agradáveis no Amado' e do Sr. Bellett sobre Marcos 7, mas ainda não considerava a união com eles. Ouvia constantemente o Sr. Darby até que ele falou sobre Josué 7: 'Por que estás prostrado assim sobre o teu rosto?... Levanta-te, santifica o povo... Primeiro, o mal tem que ser removido. Deus não pode estar conosco, se não estivermos separados do mal'. Nessa ocasião desabei. Ficou claro para mim que o passo enorme era deixar a Igreja Estatal [Anglicana] em favor de um pequeno grupo sem aparência na Aungier Street. Aconteceu em Junho de 1834. Pedi ao Sr. Darby para vir às reuniões até que alcançasse plena certeza que seus ensinos estavam corretos, mas já tinha convicção que a Igreja Anglicana estava posicionada de forma errada. (...). Estive em Plymouth, em 1838 (...) e participei de uma reunião no castelo de Lady Powerscourt. (...). O Sr. Darby foi o último a falar, muitas vezes durante horas, e entrava em detalhes de todos os assuntos abordados anteriormente. Ao lado dele estavam sentados os senhores Wigran, Capitão Hall, G. Curzon, Sir A. Campbell, Bellett, T. Maunsell, Mahon, E. Synge, dentre outros. As reuniões de oração às 7 da manhã eram impressionantes para mim de forma especial. Cada um orava, para que Deus lhes desse Luz, e também a Graça de agir nos conformes...". J. B. Stoney.

 Deixou o Sacerdócio Anglicano para unir-se aos Irmãos em 1834, nutrindo saudável amizade com J.N. Darby, que permaneceria durante toda a sua vida.

Escreveu diversos artigos que foram publicados em muitas revistas vinculadas aos Irmãos Unidos, inclusive, também foi editor de revistas. Viajava e ministrava muitas conferências, sempre evitando a retórica, convicto de que o Espírito Santo é a única fonte de poder para o Ministério.

Enquanto a maioria dos líderes do Movimento Irmãos Unidos eram centrados nas Escrituras, valorizando a objetividade da Palavra, J.B. Stoney nutria um ministério com características predominantemente subjetivas, assemelhando-se aos Místicos do Século XVII (Madame Guyon) e ao Movimento Vida Interior do Século XX (Andrew Murray, Jessie Penn-Lewis, Austin-Sparks e A.W. Tozer).

Infelizmente, o seu ministério foi afetado pelos ensinos errôneos de F.E. Raven, dentre os quais, citamos a "Filiação Encarnacional de Cristo", provocando ruptura no Movimento dos Irmãos Unidos.

Por oportuno, destacamos que a infiltração de doutrinas errôneas é decorrente da desvalorização dos aspectos objetivos das Escrituras, e não da inclusão da subjetividade ou experiência. Muitos homens de Deus, mantinham características subjetivas/experienciais no Ministério, como Jonathan Edwards e George Whitefield, que inclusive pregava sobre o "Cristo Sentido", contudo, não negligenciavam a objetividade das EscriturasNota do Blog.

James Butler Stoney faleceu em 1º de Maio de 1897, pouco antes do seu aniversário, quando completaria 83 anos. Durante um ano e meio, ficou acamado e seriamente enfermo. O período de doença serviu como reflexão de sua vida, mantendo a alegria em Deus até o último dia, falando constantemente das maravilhas do Senhor e proclamando muitas vezes a estrofe de um hino:

"É o tesouro que encontrei em Seu amor,
que me fez ser um peregrino aqui em baixo."


James Butler Stoney
James Butler Stoney.
(1814-1897)
SUAS PALAVRAS:

"Há um Homem glorificado no céu. O Espírito Santo está na Terra em consequência disso! Era o propósito de Deus que a glória devesse ser conectada com o homem. (...). Ele [Cristo] foi ressuscitado dentre os mortos pela glória do Pai. (...). Em 2ª Coríntios 4:4-6 temos o evangelho da glória de Cristo, a imagem de Deus, a glória que brilha em Seu rosto não é velada! Em 2ª Coríntios 3:18, nós contemplamos a glória do Senhor e somos metamorfoseados. Glória é todos os atributos de Deus em manifestação e perfeitamente equilibrados em Jesus."
"Ninguém é realmente humilde, enquanto não perder a autoestima. (...). Não há realmente nenhuma humildade enquanto não ficarmos desapontados conosco diante de Deus e dizermos como Jó: 'Eu me abomino'. É notável como Deus, em Sua fidelidade traz cada um dos Seus para essa experiência. (...). Não há descanso ou sensação de fuga na auto-condenação, mas em Cristo, existe conforto no perdão. (...). Ele [Cristo] é a mola e o padrão de tudo, e se Ele é exclusivamente minha vida e alegria, e não tenho nada fora dEle, tudo o que é contrário ao Seu senhorio será evitado, porque tenho parentesco com Ele [Cristo], sentirei dolorosamente tudo o que se opõe a Cristo que agora é tudo no meu coração."
"Paulo e Silas cantaram na prisão. A Graça os apoiou naquele lugar, então o Senhor os levou para fora da prisão, isto é Misericórdia. A Graça é o princípio em que Deus age. Graça sustenta, a Misericórdia oferece. A Graça é realizada em mim, mas a Misericórdia é feita por mim. A Graça é de acordo com a medida do coração de Deus, já a Misericórdia é na medida da necessidade do homem. Graça é a altura em que somos levados; Misericórdia é a profundidade a partir da qual fomos tirados."


FONTE:

Livro: "Os Irmãos" (Como são chamados) - Sua história e as verdades que professam.
Autor: Andrew Miller.
Editora: Depósito de Literatura Cristã - DLC. (Brasil).
Páginas: 175.

Os Irmãos - Fragmentos: J.B. Stoney. http://www.stempublishing.com/magazines/SQ/FRAGMNTS.html.