LOCALIZAR

TRANSLATE

C.H. Mackintosh

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 46: Charles Henry Mackintosh (1820-1896), também conhecido como C.H. Mackintosh ou apenas C.H.M., foi um irlandês Profissional da Educação; Proprietário de Escola; Escritor; Editor; Biblicista Dispensacionalista; Hermeneuta; Evangelista; e Líder Adenominacional do Movimento Irmãos Unidos na Irlanda, também conhecido como Irmãos de Plymouth, Assembleia dos Irmãos em Portugal, Casa de Oração no Brasil, ou simplesmente Os Irmãos.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

C.H. Mackintosh
Charles Henry Mackintosh.
(1820-1896)
Charles Henry Mackintosh nasceu no mês de Outubro de 1820, em Glenmalure no maior vale glacial da Irlanda.

O seu pai foi capitão e serviu no regimento Highlanders na Irlanda. A sua mãe era filha da Sra. Weldon que procedia de uma família tradicional irlandesa.

C.H. Mackintosh recebia constantemente cartas de sua irmã que fora convertida ao Evangelho de Cristo. Através dessas cartas, foi despertado espiritualmente e alcançou esclarecimentos mediante os escritos de John Nelson Darby.

C.H.M. empreendeu muito tempo na leitura da Bíblia e de livros espirituais, aprendendo que a base da paz com Deus não é a obra de Cristo "em nós", mas "para nós".

Durante a sua juventude, aceitou um emprego na cidade irlandesa de Limerick, na Província de Munster. Atualmente, a cidade possuí vocação agroindustrial, mas foi vitimada pela Grande Fome Irlandesa, ocorrida na década de 1840. Fome, doenças e emigração intensa, proporcionaram um contexto horrível, enquanto as batatas foram contaminadas por Oomycetes, assemelhados aos fungos. Um terço de toda a população irlandesa dependiam das batatas para a sobrevivência. Aproximadamente um milhão de pessoas morreram e milhões de irlandeses abandonaram a sua nação.

Em 1844, Mackintosh construiu uma escola particular na cidade irlandesa de Westport, no Condado de Mayo. Diligentemente assumiu vários compromissos pedagógicos na direção, mas o ritmo dos trabalhos aumentaram drasticamente, concorrendo com os seus compromissos cristãos, desta forma, deixou a escola em 1853.

J.G. Bellett
John Gifford Bellett.
(1795-1864)
Posteriormente, contatou John Gifford Bellett e outros crentes congregados como Irmãos Unidos na capital irlandesa de Dublin. Nesse período, C.H.M. manifestou o seu dom de evangelista, anunciando a Palavra de Deus publicamente aos incrédulos para a salvação e aos crentes para a edificação.

C.H. Mackintosh escreveu sobre o Pentateuco, dissertando o assunto dos livros mosaicos em vários volumes. O espírito evangelístico embutido na série de notas sobre os livros de Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio contribuíram na apresentação de um estudo Cristocêntrico, alcançando altas tiragens nos anos subsequentes.

Andrew Miller
Andrew Miller.
(1810-1883)
O seu amigo, Andrew Miller, escreveu acerca dos seus escritos: "A total perversão do ser humano através do pecado e a perfeita salvação de Deus em Cristo são apresentadas pormenorizada, clara e precisamente".

Charles Henry Mackintosh foi um hermeneuta que possuía uma linguagem escrita acessível aos leitores eruditos ou símplices. Expressava os seus pensamentos com vigor, fidelidade à Bíblia e confiança em Cristo.

Além dos dons de mestre e escritor existentes na vida de C.H. Mackintosh, o evangelismo também foi evidenciado no seu ministério durante o Despertamento Espiritual em 1859 e 1860, na Irlanda.

Nessa época, todos os ramos de conhecimento exalavam novas ideias. A política, as artes e a ciência, anunciavam teorias que mudariam a sociedade. Na "Era do Capital" o liberalismo econômico estava triunfando, o primeiro poço de petróleo foi perfurado na Pensilvânia, nos Estados Unidos. O progresso nas riquezas através do desenvolvimento, propiciou o avanço científico. Surgiram personalidades brilhantes no campo das ciências:

Louis Pasteur
Louis Pasteur.
(1822-1895)
  • Michael Faraday (1791-1867) foi um inglês Cientista; Físico; Químico; Experimentalista; e Eletroquímico. As suas descobertas mais importantes estão no ramo do Eletromagnetismo.
  • Louis Pasteur (1822-1895) foi um francês Professor; Cientista; Físico; Químico; e Cristalografista. As suas descobertas mais importantes estão no ramo da Cristalografia, ou seja, a ciência experimental que estuda a disposição dos átomos em sólidos, também estuda os cristais. Inventou o método que impede a transmissão de doenças através do vinho e do leite, tal processo recebeu o nome de Pasteurização. Foi um dos fundadores da Microbiologia.
  • Dmitri Ivanovich Mendeleev (1834-1907) foi um russo Cientista; Químico; Criador da primeira versão da Tabela Periódica dos Elementos Químicos, prevendo as propriedades de elementos que ainda não tinham sido descobertos. Em 1955, em sua homenagem, o elemento atômico nº 101 recebeu o nome de Mendelévio (Md).

Outros também foram importantes nos ramos das ciências, mas nenhuma teoria alterou tanto a sociedade como o Evolucionismo e o Marxismo.

Karl Heinrich Marx
Karl Heinrich Marx.
(1818-1883)
  • Charles Robert Darwin (1809-1882) foi um britânico Agnóstico; Teórico; Estudante de Medicina, Teologia e História Natural; Geólogo; Naturalista; e Pai do Evolucionismo. Quando publicou a sua obra A Origem das Espécies em 1859, inaugurou o combate moderno ao Cristianismo Criacionista, alegando que o homem não é uma criação específica de Deus, mas fruto do desenvolvimento de outra espécie.
  • Karl Heinrich Marx (1818-1883) foi um alemão Economista; Filósofo; Jornalista; Teórico Político; e Revolucionário. Muitos usaram as suas declarações acerca da religião, inclusive, sobre o Cristianismo: "A religião é o suspiro da criatura oprimida, o coração de um mundo sem coração, assim como é o espírito de uma situação carente de espírito. É o ópio do povo".

A marcha da sociedade durante o Século XVIII foi influenciada pelo Iluminismo que procurou mobilizar o poder da razão, promovendo o intercâmbio intelectual, atacando os abusos do Estado e do Catolicismo. Muitos foram conduzidos ao Deísmo, posição filosófica que aceita a existência e a natureza de Deus através da razão, do livre pensamento e da experiência pessoal, no entanto, negam a Triunidade de Deus, não recebem Jesus Cristo como 100% Homem Perfeito e 100% Deus Completo, e não recepcionam a Bíblia como a Palavra de Deus inspirada pelo Espírito Santo e inerrante no propósito para a qual foi revelada, a saber, a Salvação.

Posteriormente, surgiu no final do Século XVIII o Romantismo, movimento filosófico, político e artístico, contrário ao Racionalismo e ao Iluminismo. Buscavam o Nacionalismo, consolidando os Estados na Europa. Valorizavam a subjetividade, os sentimentos e todas as formas de emoção, iniciando o Egocentrismo. Muitos foram conduzidos ao Panteísmo, não acreditando na existência de um Deus Criador e Salvador em Cristo Jesus, mas afirmando que todos homens, toda a natureza existente e o universo formam deus. Também não acreditam na Bíblia como a única Palavra de Deus para a salvação dos homens.

Face ao contexto histórico e social que a humanidade enfrentava, um batalhão de homens foram levantados para afirmarem a Soberania de Deus, a inspiração da Bíblia, e o caminho para a Vida Eterna - Jesus Cristo. Ocorreram muitos avivamentos, surgiram vários campos missionários e diversas obras sociais foram iniciadas pelos cristãos.

Charles Spurgeon (1834-1892) influenciou multidões no Reino Unido com a exposição bíblica. Despertamentos aconteceram na Inglaterra, País de Gales, Irlanda e Escócia.

George Müller
George Müller.
(1805-1898)
George Müller (1805-1898) demonstrou o poder de Deus e o valor da Fé em Cristo. William Booth (1829-1912) iniciou um movimento jamais visto chamado de Exército da Salvação, sacudindo toda a Inglaterra com a pregação do evangelho.

No País de Gales, o Avivamento Espiritual produziu temor nos corações, jovens e crianças temiam ao Senhor, os crentes cultivaram especial comunhão, promovendo reuniões de oração e louvor. Durante um ano, as conversões alcançaram 50.000 pessoas. O alcoolismo diminuiu drasticamente e a criminalidade quase foi extinta.

William Kelly
William Kelly.
(1821-1906)
No sul da Irlanda, iniciou uma Reforma Radical da Igreja que alcançou muita força em 1859. O movimento iniciou em Dublin através dos Irmãos Unidos que eram chamados simplesmente de Irmãos e promoviam reuniões em casa e partiam o pão (ceia do Senhor) juntos buscando a edificação através da Bíblia. C.H. Mackintosh, William Kelly e J.N. Darby lideraram o mover de Deus que alcançou a Suíça, França, Alemanha, Holanda e Escandinávia, pregando a simplicidade da vida cristã e anunciando com entusiasmo a volta de Cristo, esquecida perante o Iluminismo e Romantismo.

Charles Henry Mackintosh e os Irmãos Unidos influenciaram o círculo evangélico, principalmente, através do Dispensacionalismo.

D.L. Moody (1837-1899) declarou que na hipótese de todos os livros do mundo serem queimados, ele ficaria satisfeito em ter apenas uma cópia da Bíblia e dos escritos de Mackintosh.

Martyn Lloyd-Jones
David Martyn Lloyd-Jones.
(1899-1981)
Deus preparou um batalhão para responder aos anseios da humanidade no final do Século XVIII e início do Século XIX. O Dr. Lloyd-Jones declarou "1859, aquele ano maravilhoso na história do povo de Deus".

C.H. Mackintosh e Andrew Miller, iniciaram um revista mensal "Things New and Old" (Coisas Novas e Velhas) para a edificação dos cristãos. Muitos artigos dessa revista foram publicados na revista alemã "Botschafter des Heils in Christo" (Mensageiro da Salvação em Cristo). A edição da revista Coisas Novas e Velhas foi transferida para Charles Stanley que colaborou na função até 1890.

C.H.M. expressava muita fé em Cristo, testemunhando que Deus conduz os Seus enquanto enfrentam adversidades, mas nunca permite que os crentes passem por necessidades, quando estão servindo ao Evangelho sem auxílio ou salário.

Cristãos de todos os continentes encaminhavam cartas agradecendo pelas explicações sobre o Pentateuco. Dwight L. Moody e Charles H. Spurgeon reconheceram a sua influência sobre o círculo evangélico. Moody declarou: "C.H. Mackintosh tinha a maior influência sobre mim".

Mackintosh deixou de ministrar pregações, porque a sua saúde começara a fraquejar, mas manteve o ministério escrito. No dia 2 de Novembro de 1896 partiu para o Senhor. Quatro dias depois, ele foi sepultado ao lado de sua esposa. Muitas pessoas compareceram ao velório, recordando o serviço cristão desempenhado pelo servo Charles Henry Mackintosh. A condução do culto fúnebre ficou sob a responsabilidade do Dr. Walter T.P. Wolston que pregou sobre Gênesis 25:8-10 e Hebreus 8:10, falando sobre o sepultamento de Abraão.

Finalizaram, catando um hino de autoria de J.N. Darby:

"Ó cenas brilhantes e abençoadas,
Em que pecado nunca pode entrar;
Cuja visão afasta os nossos espíritos desejosos
Dessa Terra, pela qual ainda estamos viajando."


C.H. Mackintosh
Charles Henry Mackintosh.
(1820-1896)
SUAS PALAVRAS:

"A infidelidade pode perguntar: Como? Onde? Quando? A resposta é: 'Pela fé, entendemos que os mundos, pela palavra de Deus, foram criados; de maneira que aquilo que se vê não foi feito do que é aparente' (Hebreus 11:3). Isso satisfaz o espírito dócil. A filosofia pode rir-se desdenhosamente por isto, e declará-lo ignorância rude ou credulidade cega, própria de um século de semi-barbarismo, mas completamente imprópria de homens que vivem num século iluminado [Iluminismo] da história do mundo, quando o museu e o telescópio nos têm posto de posse de fatos dos quais os escritores sagrados nada sabiam. Que sabedoria! Que conhecimento! Ou antes, que loucura! Que falta de senso! Que inaptidão para compreender o fim e o desígnio da Sagrada Escritura!" Grifo nosso.
"O Racionalismo, o Cepticismo, a infidelidade, e o Ateísmo, podem rir-se desta ideia [a história do resgate de Moisés na infância pela filha de Faraó]. E a também; mas são risos diferentes. Os primeiros riem com desprezo da ideia da intervenção divina num banal passeio duma princesa real pela margem do rio. A segunda ri de cordial contentamento ao pensar que Deus está em tudo [no controle]" Grifo nosso.
"As páginas da história humana têm estado sempre deploravelmente manchadas. São, do princípio ao fim, uma história de fracasso. No meio das delícias do Éden, o homem prestou atenção às mentiras do tentador (Gênesis 3). (...). Apenas foram promulgadas as bençãos do evangelho logo se tornou necessária a profecia do Espírito Santo quanto aos 'lobos cruéis', 'apostasia' e toda a sorte de fracasso (Atos 20:29; 1ª Timóteo 4:1-3; 2ª Timóteo 3:1-5; 2ª Pedro 2; Judas 4). E como corolário de tudo, temos o testemunho profético da apostasia humana em pleno esplendor da glória do milênio (Apocalipse 20:7-10). / É assim que o homem perverte tudo. Elevai-o a uma posição de mais alta dignidade, e ele se aviltará. Dotado dos mais amplos privilégios, ele abusará deles. No meio de uma profusão de riquezas, ele mostrar-se-á ingrato. Colocado no meio das instituições mais importantes, ele corrompê-las-á. Tal é o homem! Tal é a natureza, nas suas mais belas formas e sob as circunstâncias mais favoráveis! (...). / O homem tem mostrado sempre má disposição em seguir o caminho de estrita adesão à Palavra de Deus. Os atalhos parece terem sempre apresentado encantos irresistíveis para o pobre coração humano. (...). É a linguagem do inimigo; porém o coração humilde e obediente sabe muito bem que o caminho da submissão à Palavra de Deus é o único que conduz a 'águas' que são realmente 'doces' ou o 'pão' que pode verdadeiramente ser achado 'suave'."
"A Palavra de Deus, assim como a Sua obra, fala por si mesma; recomenda-se por si mesma; fala ao coração; alcança as raízes morais do nosso ser, penetra as mais íntimas profundidades da alma; mostra-nos o que somos; fala-nos como nenhum outro livro seria capaz de o fazer (...). Não devemos basear a nossa fé na Bíblia sobre o testemunho favorável do homem, assim como não devemos pensar que ela é abalada pelo testemunho contrário que ele possa dar dela. / Tem sido em todos os tempos da maior importância, e especialmente nos nossos dias, ter o coração e o espírito firmados na grande verdade da autoridade divina da Sagrada Escritura - a sua inspiração plenária -, na sua completa suficiência para todos os fins e todas as pessoas, em todas as épocas. Existem em toda a parte duas influências hostis: por um lado a infidelidade e por outro a superstição. A primeira [Iluminismo] nega que Deus nos fala pela Sua Palavra; a última [Igreja Romanista ou Catolicismo e Igrejas Estatais] admite que Ele tem falado, mas nega que podemos compreender o que Ele diz, a não ser por interpretação da Igreja [Instituição]." Grifo nosso.
"É de recear que a lassidão quanto a este importante assunto se vá estendendo na Igreja Professa a uma aterradora proporção. Em muitos setores tem chegado a ser moda tratar com desdém a ideia da inspiração plenária. É considerada como verdadeira criancice e sinal de ignorância. É admitido por muitos que é indício de uma profunda educação literária, de ideias liberais e de originalidade intelectual, ser-se capaz, por livre crítica, de achar defeitos no precioso livro de Deus. O homem toma a liberdade de julgar a Bíblia como se ela fosse uma mera composição humana. Aventurar-se a pronunciar-se sobre o que é e o que não digno de Deus. De fato, isto equivale efetivamente a julgar Deus. O resultado imediato é, como podia esperar-se, profundas trevas e confusão tanto para esses mesmos eruditos doutores como para todos os que são tão néscios que os escutam."
"Por quem tem sido introduzida na Igreja a maior parte senão todas as heresias de século para século? Não têm sido os simples e incultos, mas os instruídos intelectuais. (...). Nada pode justificar o mínimo rebaixamento do padrão de obediência à Palavra de Deus. Se existem dificuldades no caminho, se se apresentam diante de nós circunstâncias que causam perplexidade, se aparecem coisas para as quais não estamos preparados, e quanto às quais somos incapazes de formar juízo, que havemos de fazer? Raciocinar? Tirar precipitadas conclusões? Agir segundo o nosso próprio critério ou segundo qualquer juízo humano? Certamente que não. Então que fazer? Esperar em Deus; esperar com paciência, com humildade e com fé; e certamente Ele nos aconselhará e guiará".


FONTE:

Livro: "Os Irmãos" (Como são chamados) - Sua história e as verdades que professam.
Autor: Andrew Miller.
Editora: Depósito de Literatura Cristã - DLC. (Brasil).
Páginas: 175.

Livro: Estudos sobre o Livro de Gênesis.
Série: Notas sobre o Pentateuco.
Autor: C.H. Mackintosh.
Editora: Depósito de Literatura Cristã - DLC. (Brasil).
Páginas: 288.

Livro: Estudos sobre o Livro de Êxodo.
Série: Notas sobre o Pentateuco.
Autor: C.H. Mackintosh.
Editora: Depósito de Literatura Cristã - DLC. (Brasil).
Páginas: 309.

Livro: Estudos sobre o Livro de Levítico.
Série: Notas sobre o Pentateuco.
Autor: C.H. Mackintosh.
Editora: Depósito de Literatura Cristã - DLC. (Brasil).
Páginas: 285.

Livro: Estudos sobre o Livro de Números.
Série: Notas sobre o Pentateuco.
Autor: C.H. Mackintosh.
Editora: Depósito de Literatura Cristã - DLC. (Brasil).
Páginas: 352.

Livro: Estudos sobre o Livro de Deuteronômio, Vol. 1.
Série: Notas sobre o Pentateuco.
Autor: C.H. Mackintosh.
Editora: Depósito de Literatura Cristã - DLC. (Brasil).
Páginas: 325.

Livro: Estudos sobre o Livro de Deuteronômio, Vol. 2.
Série: Notas sobre o Pentateuco.
Autor: C.H. Mackintosh.
Editora: Depósito de Literatura Cristã - DLC. (Brasil).
Páginas: 359.

Graça e Saber: 1859 - O Ano da Resposta de Deus http://www.gracaesaber.com/2010/03/resposta-de-deus-1859.html.

http://www.oocities.org/relinking/laba01.htm.

W.J. Lowe

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 45: William Joseph Lowe (1838-1927), também conhecido como W.J. Lowe, foi um britânico Bacharel em Ciências da Engenharia; Supervisor de Construção; Poliglota; Conferencista Dispensacionalista; e Líder Adenominacional do Movimento Irmãos Unidos, também conhecido como Irmãos de Plymouth, Assembleia dos Irmãos em Portugal, Casa de Oração no Brasil, ou simplesmente Os Irmãos.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

William Joseph Lowe
William Joseph Lowe.
(1838-1927)
William Joseph Lowe nasceu em 1838 no Reino Unido. Recebeu estimada educação dos seus pais que eram Protestantes e frequentavam a Igreja Anglicana.

W.J. Lowe manifestou dons no período escolar que permaneceriam durante toda a sua vida, caracterizando o seu ministério cristão. Alguns dos seus professores foram lideranças importantes no Movimento Irmãos Unidos: James George Deck, William Hake e Henry Soltau. Tais professores exerceram influência importante em sua vida.

No colégio de Ealing alcançou elevada condecoração, ganhando medalha por seu conhecimento em geometria e álgebra, além do domínio dos idiomas grego, latim, francês e alemão. Na fase adulta, falava aproximadamente 10 idiomas.

Posteriormente, ingressou no curso de Ciências da Engenharia na cidade de Londres, na Inglaterra, e no ano de 1859, conseguiu um ótimo trabalho no ramo da construção de instalações de irrigação na capital de Madras, atual Chennai, no Estado de Tamil Nadu, Índia. William J. Lowe era um jovem de 23 anos, mas já supervisionava milhares de operários.

W.J. Lowe foi alcançado pelo Senhor durante a sua adolescência e participava com assiduidade do Partir do Pão (Mesa do Senhor). Quando estava trabalhando na Índia, manifestou a sua vocação ministerial editando uma revista de edificação para os crentes indianos.

Constantemente ficava com a saúde prejudicada, pois o clima tropical era severo para o seu organismo, assim, seguindo orientações médicas, renunciou à sua elevada posição de trabalho na Índia e retornou para a Europa. Estabeleceu residência na Suíça para recuperar a saúde, aproveitando a oportunidade para aprimorar os seus conhecimentos do idioma francês. William Joseph Lowe nutria sentimentos pelo povo francês estabelecido no Canadá, na América do Norte. Ele desejava servir ao Senhor como missionário nas terras canadenses.

John Nelson Darby
John Nelson Darby.
(1800-1882)
Nesse período, o famoso líder do Movimento Irmãos Unidos, John Nelson Darby, visitava a França para ajudar alguns líderes dos Irmãos na tradução dos escritos bíblicos para o francês. Alguns exemplares da tradução chegaram ao conhecimento de W.J. Lowe que identificou algumas carências e sugestionou mudanças significativas e valiosas. J.N. Darby foi informado acerca das sugestões e ficou surpreso com os conhecimentos do Sr. William J. Lowe. Assim, começou uma amizade duradoura e consistente comunhão do serviço cristão.

Darby declarou: "Não conheço ninguém como W.J. Lowe, que possua tal conhecimento no panorama geral e nos detalhes acerca da Verdade expressada na Bíblia".

Mapa Mundi
William Joseph Lowe foi um dos melhores conferencistas internacionais dos Irmãos Unidos.

Ministrou conferências na Bélgica, França, Alemanha, nos Países Baixos, na Espanha e na Suíça. Surgiram muitas igrejas locais dos Irmãos através do seu ministério. Também visitou os Estados Unidos e o Canadá, expandindo o Movimento dos Irmãos.

Em 1873, fundou a revista mensal francesa "Le Salut de Dieu" (A Salvação de Deus). Escreveu diversos artigos para a revista até que foi transferida para o Dr. Elie Périer.

W.J. Lowe nutria forte amizade com o Sr. Christopher McAdam e casou com a sua filha, Ellen McAdam, no dia 15 de Setembro de 1885. No período de "Lua de Mel" visitaram algumas igrejas locais e participaram da Conferência dos Irmãos em Elberfeld, na Alemanha.

Quando o sogro faleceu, assumiu os trabalhos, durante quarenta anos, da "Letters of Interest" (Cartas de Interesse), ficou responsável pela distribuição de donativos aos trabalhadores na obra do Senhor, mantendo constante comunicação com cristãos de vários países. Nessas circunstâncias, o seu dom poliglota foi extremamente importante.

Amava a juventude com encargo especial, inclusive, registrou no seu diário uma de suas visitas ao já enfermo, J.N. Darby: "Era tarde - J.N.D. tomou a minha mão e me puxou para si, para me abraçar e agradecer de maneira cordial pela longa amizade e colaboração. Disse: 'Trabalhamos juntos e nos alegramos juntos. Deus te abençoe!'. Então, um minuto depois, disse: 'Ocupa-te com os irmãos mais novos e dirija os seus corações à Cristo'." W.J. Lowe manifestava um caráter sério, mas sociável e comunicativo, também, exercitava força especial para a atração do público jovem. Alguns moços reclamavam das suas perguntas desconfortáveis, mas reconheciam que elas conduziam as suas almas para a Palavra de Deus.

Foi um apologista fervoroso contra os princípios doutrinários contrários às interpretações bíblicas aceitáveis pelos Irmãos. Demonstrava zelo e encargo pelas igrejas locais. Orava para que a consciência dos crentes fossem alcançadas por Deus e que assumissem responsabilidade no governo local da igreja. Não queria que agissem de maneira mecânica, simplesmente, acompanhando a maioria.

Detestava as expressões "administração" e "organização", quando eram empregadas para engessar o mover da igreja e o fluir do Espírito nos cristãos. No entanto, valorizava a utilização correta dessas expressões, quando estavam isentas de manipulação.

Os métodos dos homens jamais deveriam sufocar a operação do Espírito Santo no interior dos crentes, antes, durante e depois dos cultos. Segundo a perspectiva de William Joseph Lowe, a Bíblia é o trilho que evita erros nas reuniões da Igreja e o Espírito Santo é o condutor dos crentes neste trilho.

As suas forças físicas e mentais reduziram drasticamente nos últimos anos de vida até que partiu para o Senhor no dia 29 de Setembro de 1927, em Wimbledon, na Inglaterra.


William Joseph Lowe
William Joseph Lowe.
(1838-1927)
SUAS PALAVRAS:

"Metade do nosso trabalho, para falar muito moderadamente, consiste, ou deveria consistir, em comunhão. (...). Um homem faz tijolos, outro constrói com eles; auto-sacrifício parece muito atraente, mas é melhor colocar a mão no carrinho e empurrar durante meia hora, do que dizer: Eu fiz o carrinho, empurrei, e trouxe para a casa sozinho. O que você pensa?" Junho de 1919.

"Devemos esperar frouxidão aumentando nos últimos dias, mas para tudo há um recurso no Senhor, e aqueles que olham para Ele perseverando na Sua palavra, nunca encontrarão momentos de necessidade. (...). A dependência é a grande lição do deserto." Dezembro de 1919.

"Dificilmente alguém é cuidadoso o suficiente para passar um relatório exatamente como ele ouviu, sem quaisquer modificações. Eu abomino todos os 'partidos', quero saber apenas da 'verdade e nada mais que a verdade', o único vínculo de comunhão..." Novembro de 1920.


FONTE:

Livro: "Os Irmãos" (Como são chamados) - Sua história e as verdades que professam.
Autor: Andrew Miller.
Editora: Depósito de Literatura Cristã - DLC. (Brasil).
Páginas: 175.


Julius Löwen

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 44: Julius Löwen (1822-1907) foi um alemão Industrial; Fabricante de Seda; Hinólogo; Poeta; Biblicista Dispensacionalista; e Líder Adenominacional do Movimento Irmãos Unidos na Alemanha, também conhecido como Irmãos de Plymouth, Assembleia dos Irmãos em Portugal, Casa de Oração no Brasil, ou simplesmente Os Irmãos.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

Julius Löwen
Julius Löwen.
(1822-1907)
Julius Löwen nasceu no dia 31 de Julho de 1822 na cidade de Breckerfeld, na Prússia, atual Estado de North Rhine-Westphalia, na Alemanha.

Seus pais, Sr. Johann Peter Nikolaus e Sra. Anna Elisabeth Flüs, eram locatários de um moinho de vento que ajudava nos serviços do campo. O seu pai também trabalhava como padeiro. Da união matrimonial, nasceram quatro filhos e Julius era o único menino.

Desde a tenra idade começou a trabalhar nos serviços campestres para ajudar a família. Todos os seus ancestrais foram pessoas simples e pacatas na cidade de Bleckerfeld, mas o jovem Löwen romperia com esse estilo familiar.

Deus dotou o rapaz com habilidades para os estudos e para o comércio. Os seus pais reconheceram a sua capacidade e o matricularam na Escola do Reitorado. Durante os seus estudos, foi considerado um dos melhores alunos, alcançando destaque por sua diligência e fidelidade.

Posteriormente, mudou a sua residência para a cidade de Elberfeld na Alemanha, objetivando o aprendizado para o comércio que era árdua tarefa para a sua época. Ficou hospedado na casa do seu chefe e todos os dias acordava durante a madrugada para limpar o quarto e os sapatos, retirar o pó da mobília do escritório até começar os trabalhos de comércio que estenderiam por todo o dia.

O seu aprendizado foi muito difícil, contudo, proporcionou excelente formação comercial garantindo fundamentos para a sua carreira profissional.

Friedrich Wilhelme Krummacher
Friedrich Wilhelme Krummacher.
(1796-1868)
Na juventude, demonstrou interesse pelas coisas celestes e frequentou os cultos Luteranos aos domingos. Os sermões do reverendo Friedrich Wilhelme Krummacher impactaram a sua vida, proporcionando paz em Cristo Jesus.

Krummacher foi teólogo, hinólogo, pastor, e defensor do Movimento de Renovação que enfatizava a vida cristã prática. Participou do Comitê Central para a Missão Interior da Igreja Evangélica Alemã e da Agência de Serviço Social. Durante toda a sua vida combateu o Racionalismo Teológico, ramo contrário ao Sobrenaturalismo.

O Racionalismo Teológico criticava a tradição e buscava uma religião razoável, não provindo de Deus, mas fruto da auto-suficiência e do entendimento natural.

Em 1845, Julius Löwen, escreveu sobre a sua experiência cristã vivenciada na época em que ouvia os sermões do pastor Krummacher:

"Eu me ocupei diligentemente com a leitura da Bíblia e de livros edificantes. Entendi que existia algo errado comigo e para alcançar a Salvação, precisaria vivenciar mudanças radicais. Nessa circunstância, o Evangelho abriu as portas dos Seus tesouros e me conduziu ao Homem que além de executar a Salvação do Lago de Fogo, também concede em misericórdia a Vida Eterna. Tal Homem sofreu por meus pecados na Cruz, cumpriu a Lei em meu lugar e partilha a Sua justiça comigo para que eu seja agradável diante do Pai. Ele é o Homem-Deus na Glória - Jesus Cristo".

Quando terminou os seus estudos e a capacitação profissional no ramo do comércio, ingressou como empregado numa conceituada empresa do ramo têxtil na cidade de Mettmann, na região administrativa de Düsseldorf, na Alemanha. Nesse período, aproveitou as oportunidades para fundar uma tecelagem de seda na mesma cidade, que posteriormente seria transferida para Elberfeld, também na Alemanha.

Julius Löwen desfrutava da mudança radical que a Salvação concede. O seu viver era caracterizado pelo temor ao seu Deus, honestidade, sinceridade, meticulosidade na vida particular e nos negócios. Uma das empresas concorrentes em Wuppertal testemunhou sobre o seu caráter: "A única empresa na nossa região que não mente é a empresa Löwen & Nordsieck".

A sua irmã, Emilie Wilhelmine, casou com o professor Carl Brockhaus da cidade de Breckerfeld. Julius Löwen planejava viver apenas para o serviço cristão, inclusive, acreditava que tais atividades o impediriam de constituir família, contudo, a sua irmã pensava diferente e dizia "Deus cuida dos Seus servos e da Sua obra". Ela apresentou a Sra. Helene Langenbeck, filha de um amigo cristão, proprietário de uma tinturaria.

Na residência da família Langenbeck  ocorriam muitas reuniões de oração e estudos bíblicos com a participação de vários cristãos, dentre os quais Julius Löwen.

A jovem Helene Langenbeck e o rapaz Julius casaram no dia 5 de Junho de 1851. A união matrimonial expressava muita felicidade para todos. Quando completaram Bodas de OuroLöwen declarou: "O nosso casamento tem sido um paraíso".

A intensidade nos trabalhos industriais e nas negociações comerciais acarretaram muito esgotamento físico e afetaram a saúde de Julius, assim, em 1873 resolveu abandonar todas as atividades da sua empresa.

Nesse período, concentrou esforços para o serviço pastoral, edificando o Corpo de Cristo nas igrejas locais, visitando os doentes e aconselhando os jovens solteiros. O seu conhecimento da Bíblia era vasto, pois desde a juventude estudou diligentemente as Escrituras, adquirindo habilidades de um Biblicista. Também colaborou fervorosamente nos serviços da editora de Brockhaus, principalmente, na revista Mensageiros da Salvação em Cristo.

John Nelson Darby
John Nelson Darby.
(1800-1882)
O seu caráter cristão era especialmente demonstrado através do seu espírito hospitaleiro, principalmente, durante as Conferências dos Irmãos. A sua casa ficava cheia de cristãos que desfrutavam do seu acolhimento. Até o líder John Nelson Darby residiu durante alguns meses em sua residência para as revisões da Bíblia de Elberfeld.

As suas características poéticas foram cruciais para o seu dom de Hinólogo. Muitos hinos de sua autoria fazem parte da "Pequena Coletânea de Hinos Espirituais". Os hinos nº 125 "A Ti, Salvador Jesus" (Hino nº 4 do "Hinos Espirituais" em português); nº 128 "Louvor seja ao Cordeiro" (Hino nº 75 do "Hinos Espirituais" em português); nº 134 "A Ti, no santuário, ó Deus" (Hino nº 12 do "Hinos Espirituais" em português); e a composição musical dos versículos 5 a 6 de Apocalipse 1 (Hino nº 126, parte 3 do "Hinos Espirituais" em português).


"A Quem nos ama e dos pecados nossos
em Seu sangue nos lavou;
e para Seu Deus e Pai constituiu
a nós por Reis e Sacerdotes.
Seja Lhe dado, pois, o poder
e glória eternamente!
Amém! Amém!"


FONTE:

Livro: "Os Irmãos" (Como são chamados) - Sua história e as verdades que professam.
Autor: Andrew Miller.
Editora: Depósito de Literatura Cristã - DLC. (Brasil).
Páginas: 175.

Projeto Cristão: Julius Löwen http://projetocristao.no.comunidades.net/index.php?pagina=1301285930.

Sound Words: Julius Löwen http://www.soundwords.de/artikel.asp?id=387.

Paulo Leivas Macalão

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 43: Paulo Leivas Macalão (1903-1982), também conhecido como Paulo Macalão, foi um brasileiro Congregacionalista; Músico; Violinista; Hinólogo da Harpa Cristã; Conselheiro da Sociedade Bíblica do Brasil-SBB e da Casa Publicadora das Assembleias de Deus-CPAD; Pioneiro do Evangelicalismo e do Pentecostalismo Brasileiro através do Campo Missionário de Madureira.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

Paulo Leivas Macalão
Paulo Leivas Macalão.
(1903-1982)
Paulo Leivas Macalão nasceu no dia 17 de Setembro de 1903 na cidade de Santana do Livramento, no Estado do Rio Grande do Sul, Brasil. Seus pais, João Maria Macalão e Joaquina Georgina Leivas Macalão, valorizavam a educação e almejavam a carreira militar para o jovem Paulo.

Estudou inicialmente no Colégio Batista do Rio de Janeiro, na época, Distrito Federal do Brasil. Posteriormente, estudou no Colégio Pedro II, também na capital federal do Rio de Janeiro. O seu pai, Sr. João, possuía elevada patente nas Forças Armadas do Brasil como General do Exército Brasileiro, e planejou o ingresso do jovem Paulo Macalão na Academia Militar de Realengo.

O jovem Macalão estava pressionado com as responsabilidade da vida adulta que surgiram no horizonte de sua vida. Planejava seguir as trilhas do seu pai na estimada carreira militar e talvez alcançar o reconhecimento profissional, proporcionando alegrias para a família através das patentes que alcançasse, no entanto, Deus alistaria o ansioso jovem para outra carreira, na jornada divina e para engrossar as fileiras dos salvos.

Em 1924, Paulo Leivas Macalão caminhava pelas ruas do bairro imperial de São Cristóvão, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro. No seu coração palpitava ansiedades e indagações, até que encontrou um pequenino papel amassado e desprezado na calçada. Abaixou! Pegou o papel e desamassou. Algumas letras começaram a atrair o seu olhar. Era um folheto evangelístico! A mensagem era salvífica em Jesus Cristo e oferecia uma chance para a sua eternidade. A Vida Eterna estava perante os seus olhos e ao alcance do seu coração. No verso do folheto constava um endereço: Rua São Luiz Gonzaga, nº 12.

Ele compareceu no endereço anunciado no folheto evangelístico. Muitas pessoas vieram oferecer boas vindas. Uma senhora, Florinda Brito, recebeu o rapaz e o convidou para as reuniões de oração que sempre ocorriam naquele local de cultos cristãos. Paulo Macalão não suspeitava que essa senhora seria sua futura sogra.

O jovem Macalão demonstrou ser assíduo frequentador das reuniões cristãs realizadas naquele local. Os sermões bíblicos impactavam o seu coração até que no dia 5 de Abril de 1924, prostrou a sua vida aos pés de Jesus Cristo, ao som do Hino Evangélico "Vem meu Libertador!" de autoria da Sra. Sarah Poulton Kalley, esposa do doutor Kalley.

Escuta os rogos que dirijo a Ti;
Vem, meu Libertador!
Poder e dons, por mim, não tenho aqui;
Vem, meu Libertador!

Vaguei perdido, longe do Senhor;
Qual triste escravo de pecados.
Oh! Vem salvar-me com Teu forte amor;
Vem, meu Libertador!

Ouve os lamentos do meu coração;
Vem, meu Libertador!
Tira a minha alma da hórrida prisão;
Vem, meu Libertador!

Eu ando em trevas, sem a Tua luz;
Vem, meu Libertador!
Vou fatigado, espero em Ti, Jesus!
Vem, meu Libertador!

Não te demores, dá-me a Tua paz;
Vem, meu Libertador!
Pois certo estou da Tua graça, é eficaz;
Vem, meu Libertador!


No domingo do dia 24 de Junho de 1924, o pastor Gunnar Vingren realizou na praia do Caju, na cidade do Rio de Janeiro, o primeiro batismo em águas. O evento foi maravilhoso para os crentes e uma multidão de curiosos estavam presentes. Dentre os candidatos ao batismo, estava o jovem Paulo Leivas Macalão.

O rapaz que deixou a carreira militar, tornar-se-ia um valoroso cooperador nos trabalhos cristãos do jovem Movimento Assembleia de Deus, auxiliando eficazmente o pioneiro Gunnar.

As atividades cristãs adquiriram expressão e outros missionários e evangelistas vieram de vários países para ajudar o campo missionário brasileiro. O suéco Lewis Pethrus, famoso jornalista, pregador e responsável por uma grande denominação Pentecostal na Europa, foi um dos que vieram para ajudar os pioneiros Daniel Berg e Gunnar Vingren.

Lewis Pethrus participou da primeira Convenção Geral das Assembleias de Deus na cidade de Natal, no Estado do Rio Grande do Norte, Brasil. Em 1930, visitou os trabalhos missionários e pastorais na cidade do Rio de Janeiro, pregando diversos sermões para os cristãos cariocas. Na oportunidade, consagrou o jovem Paulo Leivas Macalão para os serviços pastorais.

Paulo Leivas Macalão
Paulo Leivas Macalão.
(1903-1982)
Paulo Macalão demonstrou incansável labor na semeação da Palavra de Deus. Rapidamente espalhou as Boas Novas para todas as regiões dos subúrbios do Rio de Janeiro. Alcançou muitas pessoas nos bairros do Realengo, Bangu, Campo Grande, Santa Cruz e Marechal Hermes.

Dons multi-funcionais surgiram na vida do pastor Macalão. Plantou várias igrejas no Estado do Rio de Janeiro. Iniciou vários trabalhos no Sudeste do Brasil e suas características evangelísticas encorajavam outros servos de Deus, promovendo um batalhão de crentes para o serviço pastoral em todo o território brasileiro.

Paulo Leivas Macalão
Paulo Leivas Macalão.
(1903-1982)
"Um irmão que desde o princípio teve um papel muito importante no trabalho foi Paulo Leivas Macalão. Ele é filho de General e havia começado a estudar para seguir carreira militar. Mas então Deus o salvou e ele se alistou no Exército Celestial, para servir ao Rei dos reis e ao Senhor dos senhores. Ele se tornou o primeiro e mais fiel colaborador de Vingren. Em todos os lugares ele cooperava com a sua Bíblia e o seu violino, sempre fervente e zeloso e cheio do poder de Deus. Em horas livres ele escrevia e traduzia hinos e muitos destes hinos são cantados hoje no Brasil". O Diário do Pioneiro, p. 125, CPAD.

Paulo Leivas Macalão foi conselheiro da Sociedade Bíblica do Brasil-SBB e conselheiro vitalício da Casa Publicadora das Assembleias de Deus-CPAD. Foi presidente do Instituto Bíblico Ebenézer, da Conveção Nacional dos Obreiros de Madureira, e do Conselho Fiscal da Ordem dos Ministros Evangélicos do Brasil. Também foi membro do Comitê Internacional das Conferências Mundiais Pentecostais, em Dallas, Texas, nos Estados Unidos. O seu trabalho evangelístico alcançou projeção nacional e internacional.

Harpa Cristã.
Ofertou 52 anos de pastorado ao povo Assembleiano, ministrando os ensinamentos de Jesus Cristo e colaborando com a adoração nos cultos através das suas composições que perfazem aproximadamente 250 hinos na Harpa Cristã, patrimônio histórico da Assembleia de Deus no Brasil.

Em 17 de Janeiro de 1934 casou com a missionária Zélia Brito que foi uma excelente auxiliadora e esposa para encorajar o marido no labor cristão. Da união matrimonial nasceu um filho, Paulo Brito Macalão que casou com a Sra. Edna, gerando um neto para o casal Macalão: André Macalão, que atualmente é pastor Pentecostal responsável pela coordenação de dezenas de congregações no Estado de Goiás, mantendo a vocação pastoral da família Macalão.

Paulo Leivas Macalão
Esquerda: Paulo Leivas Macalão.
Direita: Enock Morgado.
Paulo Leivas foi responsável pelo Campo Missionário de Madureira que em muito ajudou o Pentecostalismo no Brasil. Os números demonstram o seu legado: 600 igrejas; 1.000 congregações; 3.000 pontos de pregação; 200 pastores; 500 evangelistas; 2.000 presbíteros; 5.000 diáconos; 4.000 auxiliares; 6.000 músicos; 500.000 membros assíduos.

Desde a década de 80, após o falecimento do pastor Paulo Macalão no dia 26 de Agosto de 1982 e de sua esposa Zélia, os Assembleianos enfrentaram muitas divisões na denominação originando muitas convenções e ministérios com administração autônoma em todo o país. O Campo Missionário de Madureira foi o ramo mais expressivo transformado em outra denominação através dos sucessores de Macalão.

O Campo Missionário de Madureira foi transformado na denominação Assembleia de Deus Madureira, deixando o governo eclesiástico Congregacional para assumir uma posição mista Episcopal. Atualmente os trabalhos são conduzidos pelo Bispo Manoel Ferreira. Deixaram o alinhamento da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil-CGADB para seguirem a condução dos trabalhos através da Convenção Nacional das Assembleias de Deus no Brasil - Ministério de Madureira (CONAMAD).

Depois de 30 anos do falecimento de Paulo Leivas Macalão, a Assembleia de Deus Madureira possui 3.500 igrejas; 3.000 congregações; 2.500 pastores; 8.000 presbíteros; 11.000 diáconos; 5.000 evangelistas; 3.500.000 membros.


FONTE:

Casa Publicadora das Assembleias de Deus-CPAD: Harpa Cristã http://www.harpacrista.com.br/historia.php?i=3.

Assembleianos Puritanos: Paulo Leivas Macalão http://assembleianospuritanos.blogspot.com.br/2011/04/biografia-pastor-paulo-leivas-macalao.html.

Biblioteca Evangelho Online: Paulo Leivas Macalão http://bibliotecaevangelhonline-beo.blogspot.com.br/2012/04/biografia-paulo-leivas-macalao.html.

Harpa Digital: Paulo Leivas Macalão http://harpacrista-fragmentos.blogspot.com.br/2008/03/paulo-leivas-macalo-plm.html.

Assembleia de Deus Madureira: Santa Cruz do Capibaribe http://ad-madureirascc.blogspot.com.br/2011/07/biografia-pastor-paulo-leivas-macalao.html.

Assembleia de Deus Madureira: Caldas Novas http://www.adcaldasnovas.com.br/historia_macalao.htm.

União das Assembleias de Deus em Colônia Leopoldina - UMADECOL http://umadecol.blogspot.com.br/ .

Gunnar Vingren

BIOGRAFIA CRISTÃ Nº 42: Adolf Gunnar Vingren (1879-1933), conhecido pelos brasileiros como Gunnar Vingren, foi um sueco Batista; Jardineiro; Fogueiro; Porteiro; Seminarista Batista; Pastor Batista; Missionário; Evangelista; Congregacionalista; Pastor Pentecostal; Pioneiro do Evangelicalismo e do Pentecostalismo Brasileiro; e Fundador da Assembleia de Deus do Brasil.
"Eu [Jesus] Sou a videira, e vocês são os ramos. Quem está unido Comigo e Eu com ele, esse dá muito fruto porque sem Mim vocês não podem fazer nada." (João 15:5, NTLH, SBB).
"Ora, vocês são o Corpo de Cristo, e cada um de vocês, individualmente, é membro desse corpo. Assim, na igreja, Deus estabeleceu primeiramente apóstolos; em segundo lugar, profetas; em terceiro lugar, mestres; depois os que realizam milagres, os que têm dons de curar, os que têm dom de prestar ajuda, os que têm dons de administração e os que falam diversas línguas. São todos apóstolos? São todos profetas? São todos mestres? Têm todos dons de curar? Falam todos em línguas? Todos interpretam? / Entretanto, busquem com dedicação os melhores dons. Passo agora a mostrar-lhes um caminho ainda mais excelente." (1ª Coríntios 12:27-31, NVI, SBI).
"Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três; porém o maior destes é o amor." (1ª Coríntios 13:13, VRA, SBB).

Gunnar Vingren
Adolf Gunnar Vingren.
(1879-1933)
Gunnar Vingren nasceu em Östra Husby, região central da península de Vikbolandet, em Östergötland, região agrícola da Suécia. O seu pai trabalhava como jardineiro, pois era um ramo empregatício em expansão dentro da vocação agrícola da cidade.

No aconchego do lar recebeu esmerada educação com princípios cristãos através dos seus pais que eram Protestantes-Batistas. O seu pai, durante os finais de semana, lecionava com maestria na Escola Dominical Batista.

O pequeno Gunnar sentia atração pelos assuntos relacionados com a Bíblia. Aos 9 anos, buscava incansavelmente a presença de Deus desfrutando da comunhão do Espírito. Na adolescência, chamava outras crianças para buscarem o direcionamento de Deus através da oração.

Quando terminou os estudos primários, ingressou no ofício de jardineiro para ajudar a família. Permaneceria na função durante 13 anos. Quando completasse 24 anos, deixaria o trabalho de jardinagem para viajar aos Estados Unidos buscando novas oportunidades. Muitos suecos foram alcançados pela "Febre dos Estados Unidos".

Na juventude cultivou hábitos contraditórios com a vida cristã, deixando os ensinos cristãos dos seus pais. Depois de 5 anos distante do caminho do Senhor, aos 17 anos em 1896, participou de uma vigília de ano novo e foi impactado com a ministração da Palavra. Tal evento deixou profundas marcas no coração de Gunnar Vingren.

Aos 18 anos foi batizado nas águas na Igreja Batista na Província de Smáland, na Suécia. Assumiu a condução dos trabalhos da Escola Dominical substituindo o seu pai. No mesmo ano, em 1897, leu um artigo de uma revista acerca dos sofrimentos das tribos nativas no exterior. Lágrimas brotaram dos seus olhos! O encargo surgiu no seu espírito.

"Subi para o meu quarto e ali prometi a Deus pertencer-lhe e pôr-me à sua disposição, para honra e glória de Seu nome. Orei também insistentemente para que Ele me ajudasse a cumprir esta promessa". Gunnar Vingren.

Em 1898, Gunnar participou de um Escola Bíblia em Götabro na Província de Nãrke, na Suécia. A escola era uma Federação Evangélica que objetivava a pregação do evangelho. Durante trinta dias, cinquenta e cinco pessoas participaram do aperfeiçoamento. No término do curso, quinze pessoas foram enviadas como evangelistas apenas com o dinheiro da passagem para o local pretendido.

"Nunca mais na minha vida recebi uma instrução bíblica tão profunda como aquela. O Pastor Kihlstedt nos quebrantava completamente com a Palavra de Deus. Ele nos tirava tudo, tudo, até que ficássemos inteiramente aniquilados como pó diante dos pés do Senhor. Depois vinha o irmão Emílio Gustavsson com o óleo de Gileade, e sarava as feridas da alma, alimentando nossos corações famintos com o melhor trigo dos celeiros de Deus. Oh! Que tempo aquele! Fez-me bem pelo resto de toda a minha vida". Gunnar Vingren.

Gunnar experienciou o dom de evangelista na sua primeira missão como missionário na Província de Skane. Também viajou para a Província de Vãstergõtland, ministrando vários cultos na região. Quando chegou na cidade de Tidaholm, ficou doente com o vírus da caxumba. Sentindo muita febre, teve um pesadelo: "ele tinha morrido e seus pais participavam do cortejo fúnebre". Através da oração dos crentes, recuperou rapidamente a saúde.

Gunnar Vingren
Família Vingren.
Gunnar Vingren não gozava de saúde plena e durante uma de suas visitas à Suécia para tratamentos médicos, conheceu Frida Strandberg. O casal cultivou estreita amizade que resultou em casamento no dia 16 de Outubro de 1917 na cidade de Belém, no Brasil. A cerimônia foi conduzida pelo missionário Samuel Nyström.

Da união matrimonial nasceram seis filhos: Ivar, Rubem, Margit, Astrid, Bertil e Gunvor. O casal Vingren sofreu muitas adversidades decorrentes do serviço missionário. A missionária Frida Vingren adoeceu com malária, sofrendo dores terríveis durante dois meses e com muita febre. Depois de muita oração da igreja em Belém, ela recobrou a saúde. Gunnar sofria muito esgotamento físico decorrente do trabalho exclusivo em campo missionário e adoeceu duas vezes com malária.

Frida Strandberg nasceu em Junho de 1891 na cidade de Estocolmo, na Suécia. Seus pais eram Protestantes-Luteranos.

Ela estudou enfermagem e assumiu a chefia de enfermagem no Hospital em que trabalhava. Nessa época, frequentou a Igreja Filadélfia de Estocolmo e foi batizada com 25 anos pelo pastor Lewi Pethrus, no dia 24 de Janeiro de 1917. Pouco tempo depois, experienciou um avivamento espiritual.

Frida sentira um chamado para as missões e comunicou o encargo ao seu pastor. Ela desejava ser missionária em terras brasileiras e ingressou em um Instituto Bíblico na cidade de Götabro, na Suécia. O curso era frequentado por pessoas que já tinham a vocação para missões.

Frida Strandberg tinha 25 anos quando foi enviada pela Igreja Sueca ao Brasil em 1917.

Gunnar Vingren
Adolf Gunnar Vingren.
(1879-1933)
Em 1903, Gunnar foi influenciado pela "Febre dos Estados Unidos" e viajou de navio durante dezenove dias até desembarcar em Kansas City. Ficou hospedado na casa de seu tio, Carl Vingren. Depois de uma semana, iniciou os seus trabalhos como foguista, a saber profissional responsável pela operação das caldeiras à vapor, conduzindo os fogos e executando a limpeza dos equipamentos. Posteriormente, trabalhou como porteiro e jardineiro durante o inverno.

Gunnar Vingren viajou para Chicago e iniciou os estudos no Seminário Sueco Batista. Os pastores da Igreja Batista Sueca em Chicago perceberam a dedicação do jovem e recomendaram o seu ingresso na Universidade Batista. Durante os seus estudos foi aperfeiçoado para a pregação do evangelho. Ministrou sermões em várias igrejas locais nos Estados de Michigan, Carolina do Sul e Illinois.

Concluídos os seus estudos acadêmicos, foi empossado em 1909 como pastor na Primeira Igreja Batista em Menominee, no Estado de Michigan.

Gunnar Vingren
Pentecostalismo Clássico.
Século XX.
No início do século XX, a América do Norte foi invadida por um movimento avivalista que iniciaria o Pentecostalismo Moderno na história do Cristianismo. A primeira onda do avivamento é denominada de Pentecostalismo Clássico iniciada nas reuniões da Rua Azusa, em Los Angeles, Estados Unidos. Surgiram três vertentes: Santidade-Wesleyana; Vida Superior e Unitários.

  • Pentecostalismo da Santidade-Wesleyana: ensina que a natureza carnal da humanidade pode ser purificada através da fé e mediante o poder do Espírito Santo, os pecados são perdoados através de Jesus Cristo. Acreditam que após a experiência de conversão (1ª benção) sucede um crise de santificação (2ª benção), proporcionando a Perfeição de Pureza, ou seja, antes da morte a alma cristã pode ser santificada do estado do pecado original, alcançando a Total Santificação. Muitas denominações cristãs seguem esses princípios: Igreja Santidade Livre; Igreja Wesleyana; Igreja Metodista Livre; Igreja Evangélica Holiness do Brasil; Igreja do Nazareno; Exército da Salvação; Christian and Missionary Alliance; Igreja de Deus em Cristo; Igreja de Cristo Santidade dos Estados Unidos; Churches of Christ in Christian Union; Igreja de Deus em Indiana; Igreja de Deus Santidade; Igreja Evangélica Metodista; Movimento de Santidade Conservador; World Gospel Mission; Brunstad Christian Church (Smith's Friends); Igreja de Deus em Cleveland; Igreja de Deus em Charleston; Christ's Sanctified Holy Church; The Fellowship da Austrália; Church of Daniel's Band; etc.

  • Pentecostalismo da Vida Superior recebeu influências do Movimento Keswick. Ensina que a 2ª benção da corrente Wesleyana não elimina totalmente os vestígios do pecado original, mas proporciona Consagração Plena que capacita para a pregação do evangelho. A Igreja do Evangelho Quadrangular é representante deste ramo Pentecostal. A Assembleia de Deus do Brasil recebeu influências das duas correntes: Santidade-Wesleyana e Vida Superior.

  • Pentecostalismo Unitário, também conhecido como Pentecostalismo em Nome de Jesus, ou Pentecostalismo Apostólico: ensina a Doutrina da Unidade, ou seja, afirmam que há um Deus, um Espírito Singular que se manifesta de muitas maneiras, ora como Pai, como Filho, ou como Espírito Santo. Negam a Teologia Trinitária acerca das três pessoas da Trindade. Os cultos são parecidos com os realizados por outros grupos Pentecostais, no entanto, enfatizam rigorosos padrões de "santidade" no vestir, na higiene e em outras áreas comportamentais. Muitos grupos foram influenciados por tais ensinos: Igreja Pentecostal Unida Internacional; Igreja Pentecostal Unida da Colômbia; O Nome de Jesus - Evangélica Apostólica; Assembleias Pentecostais do Mundo; Igreja de Jesus Cristo da Fé Apostólica; Assembleia Apostólica da Fé em Cristo Jesus; Assembleias do Senhor Jesus Cristo; Verdadeira Igreja de Jesus; Igreja Apostólica de Pentecostes do Canadá; etc. Aproximadamente, 40 milhões de pessoas seguem esses ensinamentos.

Não encontramos dificuldades nas duas correntes: Santidade-Wesleyana e Vida Superior, mas não pactuamos e rejeitamos a corrente Unitária. Cremos que Deus é Único e Triúno, ou seja, o Pai, o Filho e o Espírito, coexistindo sem hierárquia em igualdade de eternidade a eternidadeNota do Blog.

Gunnar Vingren foi influenciado pelo Avivamento Pentecostal e começou a promover os ensinos avivalistas na sua congregação Batista. Todavia, suas novas convicções não foram aceitas na comunidade cristã que partilhava dos ensinamentos do Cessacionismo. Em 1910, aos 31 anos, deixou a Primeira Igreja Batista em Menominee, para trilhar o seu caminho através dos ensinos do Pentecostalismo.

O jovem pastor "Batista Pentecostalizado"  jamais pretendeu fundar qualquer denominação evangélica, ao contrário, desejava partilhar as suas experiências com a Igreja Batista Sueca.

Gunnar Vingren
Esquerda: Gunnar Vingren.
Direita: Daniel Berg.
Gunnar Vingren permaneceria como pastor Batista até o início dos seus trabalhos missionários com Daniel Berg no Brasil. As suas convicções Pentecostais atritavam com o posicionamento Protestante-Batista do início do século XX, com predominância Cessacionista. Atualmente, muitas Igrejas Protestantes no Brasil abandonaram o Cessacionismo, adotando o Continuísmo. Outras, deixaram o Cessacionismo Rígido para adotarem posições moderadas Semi-Rígidas ou Flexíveis.

A dupla, Gunnar Vingren e Daniel Berg, foi muito importante para a expansão do Evangelicalismo no Brasil. Iniciaram os trabalhos no Estado do Pará, avançando para a Amazônia e Nordeste brasileiro. As sementes do trabalho missionário geraram a Missão da Fé Apostólica em Belém que passou a chamar Assembleia de Deus no Brasil. Criaram várias publicações: Jornal Boa Semente; O Som Alegre; e Mensageiro da Paz. Estabeleceram a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil e compilaram um hinário.

Vingren visitou várias cidades brasileiras, edificando as igrejas que foram plantadas por Daniel Berg. Pastoreou a igreja em Belém até 1924 e depois a igreja no Rio de Janeiro até 1932.

Na cidade do Rio de Janeiro, a família Vingren alugou uma casa no bairro de São Cristóvão, na Zona Norte da cidade, inaugurando o primeiro local de reuniões da Assembleia de Deus no Estado do Rio de Janeiro.

Frida Vingren
Frida Strandberg Vingren.
(1891-1940)
O pastor Gunnar Vingren começava o culto cantando um hino. Todos ficavam em pé na execução do hino. Uma senhora loira, Frida Vingren, tocava o órgão. Um jovem, Paulo Leivas Macalão, tocava o violino. Um senhor idoso, irmão Balbino, tocava o trombone. O ambiente estava preparado para a pregação da Palavra de Deus.

O primeiro "culto ao ar livre" foi realizado no Rio de Janeiro sob condução de Paulo Macalão na Praça da República.

A missionária Frida Vingren iniciou várias frentes de trabalho, desenvolvendo muitas atividades evangelísticas e sociais, além da condução dos grupos de oração. Também ministrava ensinos na Escola Dominical. A sua facilidade com a palavra escrita proporcionou destaque como colaboradora dos jornais Boa Semente, O Som Alegre e Mensageiro da Paz. Escrevia mensagens evangelísticas, doutrinárias e exortações. Foi comentarista das lições bíblicas da Escola Dominical durante a década de 30. Cantava, tocava órgão e violão. Sua vocação musical ficou evidenciada através de 23 hinos de sua autoria contidos na Harpa Cristã.

A família Vingren ofertou quinze anos de serviços missionários e pastorais ao Brasil. No mês de Setembro de 1932 retornaram para a Suécia, mas dias antes da partida, a filha do casal, Gunvor, faleceu vítima de infecção na laringe.

Gunnar Vingren faleceu no dia 29 de Junho de 1933 e Frida no dia 30 de Setembro de 1940. Questionados! Criticados! Incompreendidos! A única convicção era a doce presença de Jesus Cristo na condução do casal, deixando um precioso legado aos fiéis. A continuidade dos trabalhos no Brasil ficou sob responsabilidade do amigo Berg.

"Gunnar Vingren era um homem consagrado a Deus cuja vida foi uma vez para sempre colocada sobre o altar e ele jamais retirou dali essa sua oferta. Um santo fogo estava aceso em sua alma e ardeu durante toda a sua vida, até que ele foi 'consumido' por esse mesmo fogo". Miss. Nils Kastberg. Assembleia de Deus de São Cristóvão.

Pentecostalismo
Fogo Estranho.
"Em 1923, o missionário sueco Gunnar Vingren, um dos fundadores da Assembleia de Deus no Brasil, fora informado de que um certo Movimento Pentecostal começava a alastrar-se por Santa Catarina. Sem perda de tempo, Vingren deixou Belém do Pará, berço do Pentecostalismo brasileiro, e embarcou para o Sul. No endereço indicado, veio ele a constatar: 'Não se tratava de Pentecostes, mas de Feitiçaria e baixo Espiritismo'. / Embora fervoroso pentecostal, Gunnar Vingren não se deixou embair pelo emocionalismo nem pelas aparências. Ele sabia que nem tudo o que é místico, é espiritual [de Deus]; pode brilhar, mas não é Avivamento. O Misticismo manifesta-se também em rebeldias e mentiras. Haja vista as seitas proféticas e messiânicas. / Teve o nosso pioneiro, como precavido condutor de ovelhas, suficiente discernimento para não aceitar aquele arremedo de pentecostes. Fosse um desses teólogos que colocam a experiência acima da Bíblia Sagrada, o Pentecostalismo autêntico jamais teria saído do nascedouro. / Entre as manifestações presenciadas por Gunnar Vingren, achava-se o 'Cair no Poder' que, já naquela época [1923], era conhecido também como 'Arrebatamento de Espírito'. À primeira vista, impressionava; fazia espécie. Não resistia, contudo, ao mínimo confronto com as Escrituras. E nada tinha a ver com as experiências semelhantes que se acham nas páginas da Bíblia. / Irreverente e apócrifo, esse Misticismo não se limitou à geração de Vingren. / Continua a assaltar a Igreja de Cristo com demonstrações cada vez mais peregrinas e contraditórias. O seu alvo? Levar confusão ao povo de Deus. No combate a tais coisas, haveremos de ser enérgicos, sábios e convincentes. Mas sempre equilibrados. Através da Bíblia, temos a obrigação de mostrar a pureza e a essência de nossa crença, e a 'batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos' (Jd. 3)." Claudionor Corrêa de Andrade. Revista Defesa da Fé.


FONTE: